Notícias

Cetesb conhece o HIDS

A Cetesb, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, é uma agência do Governo do Estado de São Paulo responsável pelo controle, fiscalização, monitoramento da qualidade das praias, dos rios e represas, da qualidade do ar e do solo e licenciamento de atividades geradoras de poluição. No último dia 13 de julho uma equipe da DEPI visitou a sede da Companhia para apresentar o projeto do HIDS.

O diretor da Depi, Prof. Dr. Marco Aurelio Pinheiro Lima, descreveu as principais características do projeto, destacando que a proposição de um Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) tem avançado e despertado o interesse de diversas instituições,  incluindo a PUC-Campinas, CNPEM, CPqD e a Prefeitura Municipal de Campinas. Com isso, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou um financiamento de 1 USD milhão, a fundo perdido, para a construção do masterplan de toda a região que contém o HIDS – uma área de 11,3 milhões de metros quadrados, que inclui o Polo II de Alta Tecnologia, toda a Unicamp e a PUC-Campinas.

Segundo explicou Lima, a construção do HIDS representa uma oportunidade de integração com a cidade de Campinas, podendo se constituir em um laboratório vivo, bem como um modelo de distrito inteligente e sustentável, que tem como premissa a articulação de instituições dos setores público e privado para prover ações que impulsionem o desenvolvimento econômico da região apoiados nos valores do desenvolvimento sustentável – em especial, nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), definidos em Paris na Cúpula das Nações Unidas, em 2015, por todos os 193 Países-Membros da ONU (incluindo o Brasil) e que se comprometeram a alcançar esses objetivos ao adotarem a Agenda 2030.

O HIDS poderá ser um laboratório vivo para testar e colocar em prática uma série de pesquisas e tecnologias que colaborem para atingir os ODS. De acordo com a diretora de controle e licenciamento ambiental da Cetesb, Zuleika Lisboa Peres, é a questão do lixo. “Esse é nosso maior desafio atualmente. Os municípios gastam uma fortuna e os rios seguem poluídos e com muito lixo”, afirmou a diretora. “Muitos prefeitos nos procuram buscando ajuda para lidar com esse problema. As alternativas para destinar o lixo adequadamente representam um custo altíssimo, os aterros estão lotados e há pouco espaço para ampliação. Ao mesmo tempo, as pessoas seguem produzindo quantidades enormes de lixo”, complementou. Ainda segundo ela, um projeto como o HIDS traz a oportunidade de pensar soluções para esse desafio de forma conjunta, envolvendo a esfera estadual, as prefeituras, a universidade e as empresas.

Por Patricia Mariuzzo

 

 

 

 

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.