Notícias

Transparência e assertividade no planejamento do HIDS

O HIDS nasceu a partir da oportunidade fortalecer e direcionar os ativos e vocações da região da cidade de Campinas para incentivar a agenda 2030 da ONU e atender os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Ele está sendo idealizado para ser um distrito inteligente e sustentável ocupando os campi da Unicamp (em Barão Geraldo) e da PUC-Campinas e toda a região do Ciatec II (Polo de Alta Tecnologia), totalizando 11,3 milhões de m2. Para orientar o crescimento e o desenvolvimento urbano dessa área, por meio de recomendações e propostas para a população, economia, habitação, transporte, instalações e uso do solo, está sendo elaborado o master plan do HIDS.

Inicialmente o planejamento do HIDS estava dividido em seis componentes de trabalho interdependentes: projeto físico-espacial, modelo de negócios, modelo jurídico, patrimônio, avaliação de sustentabilidade e comunicação. Com objetivo de garantir ritmo, assertividade e transparência ao processo de planejamento, foi criada a componente “Governança”. “Como um projeto de longo prazo, consideramos fundamental definir um modelo de governança do HIDS desde a etapa de conceituação até a fase de operação”, afirmou Bruno Moreira, CEO da Inventta, consultoria de inovação que assumiu a coordenação dessa componente.

Há 14 anos no mercado, a Inventta se consolidou como uma das principais consultorias de inovação do país, liderando projetos, estratégia e novos negócios junto a grandes empresas como Petrobrás, Vale, Natura, Nestlé, Bosch e Samsung e instituições como o MDIC, MCTI, CNI, ABDI, Sebrae e ANPEI. No HIDS o escopo de atuação da Inventta inclui o acompanhamento do status do projeto e a geração de relatórios mensais, ações estratégicas como estabelecer um plano de evolução do projeto e de atração de negócios e ações de longo prazo de planejamento e acompanhamento da operação do HIDS.

Construindo um conceito – O HIDS, embora já inspirado pela missão de promover a cultura do desenvolvimento sustentável atuando como um cluster de inovação, ainda é um conceito em formação. “Cada pessoa ou stakeholder envolvido na sua construção tem uma imagem do ele que deveria ser, como também o que não deveria ser. A formação do conceito do HIDS deve ser feita a partir da imagem que cada parte tem e esse é o desafio da etapa em que o HIDS se encontra: tornar o conceito tangível, inspirado na missão de atender os objetivos do desenvolvimento sustentável, e que seja o encontro da visão consentida por muitas pessoas”, destacou Bruno. “Uma boa governança já nessa etapa, ouvindo os diversos stakeholders e articulando as mais diversas competências, será essencial para o sucesso dessa jornada”, aponta.

Entre esses stakeholders estão os atores fisicamente alocados na área designada para ser o espaço físico do HIDS, sendo que parte deles já compõe o Conselho Consultivo do HIDS. Entretanto, considerando as universidades e centros de pesquisa como indutores das relações com as Empresas e o Governo como regulador e fomentador da atividade econômica (tríplice hélice), a ideia é atrair novos atores tanto do ecossistema regional como de fora dele, para que o HIDS possa ser uma rede de inovação para sustentabilidade, operando em favor do bem a sociedade

A primeira etapa do planejamento está sendo financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a fundo perdido. “O projeto BID cumprirá um papel fundamental para o HIDS no sentido de fomentar o processo de estruturação do conceito do que virá a ser o HIDS”, finaliza o gestor.

Clique aqui para acessar o Relatório de setembro da componente Governança do HIDS.

Por Patricia Mariuzzo

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.